Avenca (Adiantum raddianum) - Uma planta de interior frágil

Avenca - Adiantum raddianum
A minha avenca (Addiantum raddianum 'Fragrans')
Quem acompanha o meu blog, sabe que há algum tempo atrás dediquei um artigo ao tema das 10 plantas de interior mais fáceis de cuidar. A planta sobre a qual irei escrever hoje, está numa categoria completamente oposta. As avencas são fetos/samambaias muito frágeis, que exigem alguma paciência e dedicação, pelo que não serão as mais indicadas para quem se inicia agora no passatempo das plantas de interior.

O nome atual da espécie, Adiantum raddianum, foi publicado pela primeira vez em 1836 pelo botânico Carl Borivoj Presl. No entanto, o nome Adiantum cuneatum, que antecedeu o atual, ainda é largamente utilizado como sinónimo, e foi o naturalista, etnólogo e jornalista alemão Georg Forster que o mencionou pela primeira vez em 1786, no seu livro Florulae Insularum Australium Prodromus.

Georg Forster - Plantas de interior
O naturalista Johann Reinhold Forster e o seu filho Georg Forster no Taiti
Fonte: Wikimedia commons
Para além do seu interesse em botânica, Georg Forster foi também uma figura central do Iluminismo na Alemanha. Desde muito novo que viajou por todo o mundo, na companhia do seu pai, chegando mesmo a participar na segunda viagem ao Pacífico do famoso explorador Britânico James Cook. Morreu com apenas 40 anos, em Paris, no ano de 1794.

Quando uma planta de interior recebe cuidados inadequados, acabamos por nos aperceber, com maior ou menor rapidez, de que algo está errado. Com as avencas, não precisamos de esperar muito tempo, pois elas reagem de forma quase instantânea a condições de cultivo inadequadas. E atingir essas condições ideais, pode representar um grande desafio.

Avenca - Adiantum raddianum
Adiantum raddianum protegido do sol por uma pequena fonte de água e pela sombra proporcionada por outras plantas
Luz: O primeiro desafio consiste em encontrarmos um local dentro de nossas casas, onde a luz seja a mais adequada para a nossa avenca-de-folha-miúda, nome comum pelo qual também é conhecida a espécie Adiantum raddianum. Enquanto que no exterior as avencas preferem locais com muita sombra, dentro de casa necessitam de um local com boa luz, mas sem sol direto, o qual queima com facilidade as suas folhas (frondes) frágeis. Um local que replique em certa medida as matas e florestas tropicais de onde as avencas são originárias, ou seja, bem iluminado e com alguns focos de luz solar filtrada ou difusa, será o ideal para a sua planta. Frondes demasiado claras ou com marcas de queimaduras, são sinais de que a sua avenca poderá estar num local com demasiada exposição ao sol.

Solo: Tente misturar uma boa terra comercial com turfa e areia, em proporções iguais. A ideia será obter um solo leve e com muito boa drenagem, uma vez que, conforme poderá ler em seguida, as avencas precisam de regas constantes, mas o solo nunca poderá ficar encharcado.

Rega: Se deixar que a mistura do vaso da sua avenca seque completamente, mesmo que seja por pouco tempo, irá ter uma surpresa muito desagradável. O mais provável é que a planta murche, e a recuperação poderá ser muito difícil. Regue o seu Adiantum raddianum de forma regular, mantendo o solo sempre (h)úmido. Cuidado com o excesso de rega, uma vez que o encharcamento do solo pode levar ao aparecimento de fungos ou ao apodrecimento das raízes.

Adiantum capillus-veneris
Ilustração de 1885 de outra conhecida avenca, a Adiantum capillus-veneris
(avenca-cabelo-de-vênus) 

Adubação: Utilize um fertilizante liquido fraco, uma vez por mês. Nos meses mais frios não é necessário fertilizar.

(H)umidade: As avencas detestam ar seco, pelo que se decidirmos cultivar uma destas frágeis plantas dentro de casa, teremos de arranjar formas de aumentar significativamente a (h)umidade do ar. Um dos truques que utilizo, é colocar a minha avenca junto de uma pequena fonte decorativa, daquelas que funcionam com um pequeno motor de aquário. Também se pode colocar o vaso sobre um prato contendo seixos e água, tendo cuidado para que a linha de água no prato não toque no vaso. A evaporação constante irá beneficiar a sua avenca. Pulverizar a planta com frequência pode ajudar, mas utilize água à temperatura ambiente uma vez que a água fria pode manchar as frondes. Se as mesmas ficarem com as extremidades escuras ou começarem a a amarelar e murchar, isso significa provavelmente que o ar à volta da planta ainda está demasiado seco. As avencas também não gostam de correntes de ar fortes.

Avencas no seu habitat favorito
Avencas no seu habitat favorito, um local abrigado do sol e perto de água
Temperatura: As avencas preferem temperaturas acima de 18ºC. Se a temperatura dentro de casa for muito elevada, tenha muito cuidado para não deixar nem o solo, nem o ar, ficarem demasiado secos.

Propagação: A melhor forma de propagar as avencas é por divisão das touceiras. Separe parte da planta com uma faca afiada, tentando não danificar as raízes, e plante de imediato noutro vaso. A reprodução por esporos também é possível, mas pessoalmente nunca experimentei.

Outros cuidados: Elimine regularmente as frondes secas, cortando os seus caules (espiques) pela base. Dessa forma irá facilitar o surgimento de novos rebentos a partir do solo.