Plantas de interior tetragonais - Crassula tetragona

Plantas de interior - Crassula tetragona
Crassula tetragona
A Crassula tetragona é uma aquisição recente e uma planta de interior muito fácil de cuidar. Encontrei esta espécie no jardim de um amigo, que teve a amabilidade de me dar dois ou três rebentos, os quais já tinham inclusivamente um pouco de raíz. Pouco tempo depois de os colocar num vaso, foi possível observar que os rebentos desta planta suculenta retomaram o seu crescimento rapidamente.

A Crassula tetragona, cujo nome se deve à filotaxia das suas folhas (do grego, tetra + gonia = quatro + ângulos), é uma planta originária da África do Sul e foi descrita pela primeira vez em 1753 por Linnaeus, num livro marcante para a história da ciência, o Species Plantarum.

Rega: Estas plantas devem ser bem regadas, embora se possa deixar a terra secar completamente entre regas. Se a planta florir, o que acontece normalmente no verão, a sua necessidade de água aumenta.

Crassula tetragona em flor - Plantas de interior
Crassula tetragona em flor
© André Karwath aka Aka / CC-BY-SA-2.5 / Wikimedia Commons

Durante os meses frios de inverno, a rega deve ser escassa, o suficiente apenas para impedir as folhas de ficarem com um aspecto "enrugado".

Luz: A Crassula tetragona pode receber até 6 horas de sol direto diariamente embora também se dê bem em locais sem sol, desde que não tenham demasiada sombra.

Temperatura: É uma planta que aguenta temperaturas muito baixas e até mesmo geada. No entanto é preferível que esta crássula não seja exposta a temperaturas abaixo de 6ºC.

Adubação: Use um adubo líquido fraco durante a época de crescimento. Uma vez por mês será suficiente.

Solo e reenvasamento: Use um solo leve, com boa drenagem. Estas plantas de interior crescem lentamente e não será necessário mudar de vaso com muita frequência.

Doenças: É muito raro estas crássulas terem qualquer tipo de doença ou praga.

Propagação: A Crassula tetragona pode ser reproduzida por estaca de caule ou de folha. As folhas enterradas parcialmente no solo, rapidamente criarão raízes e darão origem a outra planta. Se plantar as estacas de caule verticalmente, elas continuarão a crescer dessa forma. Se as colocar horizontalmente no solo, as raízes surgirão ao longo de toda a estaca e formarão várias novas plantas.

Poda: Por forma a dar um aspecto mais arbustivo à sua planta, pode o topo dos caules, para que a planta rebente mais abaixo e fique mais densa e compacta. Se não o fizer, as Crassula tetragona têm tendência a produzir rebentos nas extremidades, o que faz com que possam ficar um pouco pesadas no topo e tombar.

Para além da Crassula tetragona, recebi igualmente estacas de outras duas espécies de crássulas, às quais dedicarei um novo artigo muito em breve.