Monstera deliciosa ou costela-de-adão - Plantas de interior que de interior não têm nada

Plantas de interior - Monstera deliciosa
Monstera deliciosa
Se acha que as plantas de interior devem ser minúsculas, e que devem ficar dentro de uns vasinhos igualmente minúsculos para não darem muito trabalho, então mantenha a Monstera deliciosa à distância. 

Sei do que falo porque estou ainda na ressaca da troca de vasos dos dois exemplares que possuo desta magnífica planta, o que não só me deu um trabalho descomunal, como também uma dor de costas terrível. Assim sendo, deixo desde já o meu aviso a todos: Esta planta é apenas para quem consegue conjugar o passatempo das plantas de interior com uma excelente forma física! Não é o meu caso, e daí a dor de costas!

Ainda assim, não me posso queixar. Já não trocava a terra das minhas duas Monstera deliciosa há dois ou três anos (sou terrível com datas), e os vasos já não tinham praticamente terra, só raízes. Para além disso, estas plantas crescem imenso. Quanto maior for o vaso, mais crescem, e a partir de certa altura temos de colocar canas ou estacas (ver foto inicial), para que ela continue a crescer na vertical e não ocupe metade da sua sala-de-estar.

Aliás, foi por uma questão de espaço que um dia pensei: Ou as Monsteras ou eu! E vai daí coloquei as duas no hall das escadas, transformando aquilo que formalmente seriam duas plantas de interior em duas plantas de exterior. E embora a reação normal das Monstera deliciosa fosse sentirem-se injustiçadas ou quanto muito, um pouco deprimidas, aparentemente gostaram de ser expulsas de casa. Porquê?

Primeiro que tudo, por causa da luz. As Monstera não gostam de sol direto e aguentam muito bem a sombra, embora luz forte mas sem sol, seja o ideal para elas. E são exatamente essas as condições de luminosidade no hall das minhas escadas. Podem ver na foto seguinte,  o belo aspeto "recortado" que as folhas adquirem se estiverem sob a luz ideal: 

Plantas de interior - Monstera deliciosa
Costela-de-adão - Pormenor das folhas
Outro dado a ter em conta, é a temperatura. As minhas escadas, desde a primavera ao outono, são bastante quentes, o que é ótimo, uma vez que as Monstera deliciosa são originárias das florestas do sul do México e do Panamá, e gostam de temperaturas entre os 20ºC e 30ºC.

Quanto à (h)umidade do ar, estas plantas resistem muito bem ao ar seco, mas se possível, pelo menos na fase de crescimento ativo, pulverize com água regularmente e limpe as folhas com uma esponja (h)úmida e macia sempre que começarem a acumular pó. As Monsteras agradecem imenso este tipo de carinhos.

Pode usar uma mistura de terra normal, como as que vulgarmente se encontram nos supermercados ou hortos. Adube de três em três semanas e regue regularmente na primavera e verão, embora possa deixar secar a terra entre regas.

A costela-de-adão, no seu habitat natural, produz frutos comestíveis. No entanto, é muito raro que tal aconteça no interior de uma casa. Caso consiga esse feito, não esqueça que todas as partes da planta são tóxicas, até mesmo os frutos, os quais só podem ser consumidos depois de um ano a amadurecerem. Antes disso, a quantidade de ácido oxálico existente nos frutos, pode causar lesões na língua, garganta e estômago. A esse respeito, encontrei este vídeo muito interessante no You Tube:

'

Então já sabe, caso você queira que alguém comece a falar um pouco menos, ofereça-lhe uns frutos de Monstera deliciosa, bem verdinhos. Depois, é só desejar bom apetite!