Spathiphyllum wallisii ou Lírio-da-paz - Plantas de interior pacíficas

Lírio-da-paz
Alguns dos meus leitores sugeriram que o Spathiphyllum wallisii, ou lírio-da-paz,  deveria fazer parte do artigo As 10 plantas de interior mais fáceis de cuidar.

E têm toda a razão. Tanto a espécie original, como o híbrido "Mauna Loa" (tenho um exemplar de cada), não precisam de grandes cuidados para nos proporcionarem horas de prazer, ao contemplarmos a sua bela folhagem e as flores brancas que nascem indiscriminadamente ao longo de todo o ano.

A flor desta planta de interior, é constituída por uma espécie de folha modificada, a espata, de cor branca, que envolve a espadice, um pequeno tubo rugoso, de cor creme ou amarela. O meu "Mauna Loa", é uma planta extremamente vigorosa, com mais de dez anos, e que está constantemente a florescer. Neste momento estão a nascer duas flores, que como podem ver na foto seguinte, ainda não se formaram completamente mas que daqui a poucos dias estarão em todo o seu esplendor.

Plantas de interior : Flor do Spathiphyllum Mauna Loa
Flor do meu Spathiphyllum "Mauna Loa"
Na imagem seguinte, retirada da Wikipedia, podem ver distintamente a espata e a espadice.

Plantas de interior : Flor do Spathiphyllum wallisii
Foto no domínio público
Os diversos nomes populares desta planta de interior, lírio-da-paz, velas-brancas, bandeira-branca, estão todos relacionados com a sua flor. Já o nome científico, wallisii, deve-se ao descobridor desta espécie, o colecionador de plantas alemão, Gustav Wallis.

Plantas de interior : Gustav Wallis
Gustav Wallis
A ele se deve a introdução da espécie na Europa, no séc. XIX. Gustav Wallis dedicou a sua vida a descobrir novas espécies de plantas. Morreu no Equador, em 1878.

Porque motivo esta planta de interior é tão fácil de cuidar? Primeiro que tudo, a luz. O Spathiphyllum wallisii e os seus híbridos, não são nada esquisitos relativamente à quantidade de luz. Dão-se bem apenas com luz média. O meu "Mauna Loa" está numa janela virada para leste, pelo que só tem um pouco de sol através de cortinas na parte da manhã, e dá-se lindamente. O meu Spathiphyllum wallisii (a espécie original), está na cozinha, numa janela virada a oeste, mas encontra-se protegida do sol, por trás de outras plantas.

Plantas de interior : Spathiphyllum wallisii
O meu Spathiphyllum wallisii
O lírio-da-paz é por vezes utilizado como planta de aquário, o que diz praticamente tudo sobre a forma correta de o regar. Ele adora água e deve ser regado com abundância. Quando lhe falta água, as folhas ficam caídas, embora recuperem rapidamente depois de uma boa rega. Não deixem no entanto as folhas chegarem a esse ponto, pois nessa fase é bem provável que algumas das suas raízes já tenham sido danificadas. Muita água portanto, e tentem nunca deixar a terra secar entre regas. Se surgirem problemas com fungos, um bom fungicida aplicado sobre a terra depois da rega resolverá o problema.

Quanto ao solo, normalmente faço uma mistura de 60% de turfa e 40% de terra comum. Não se esqueçam também de colocar argila expandida ou alguns cacos de barro no fundo do vaso para boa drenagem. Troquem a terra todas as primaveras.

Se conseguirem aliar à meia-luz e boa rega, uma temperatura não muito baixa e um elevado grau de (h)umidade, esta planta de interior agradece. Aliás, conforme poderão comprovar no meu artigo, As 10 plantas de interior mais eficazes na limpeza do ar, uma das formas de agradecimento dos lírios-da-paz, passa por serem uma das espécies de plantas de interior que mais contribuem para uma boa qualidade do ar dentro de casa.

Desde que tenham as condições atrás referidas, não é previsível que o seu crescimento abrande significativamente, mesmo no inverno. No entanto, se tal acontecer, é só reduzir um pouco as regas e a adubação, a qual deverá ser mensal durante todo o período de crescimento da planta (o qual pode ser permanente).

Já agora, e antes de terminar, um pequeno truque. Sempre que os espatífilos florirem, se cortarem a espadice, farão com que a flor branca dure muito mais tempo na planta antes de murchar.