The Twilight Zone - Plantas de interior de outra dimensão

"You're traveling through another dimension, a dimension not only of sight and sound but of mind. A journey into a wondrous land whose boundaries are that of imagination. That's the signpost up ahead - your next stop, the Twilight Zone!"

Sim, foram estas palavras com a voz do Rod Serling que ecoaram no meu cérebro, quando ontem me ofereceram duas plantas saídas do reino da fantasia: Um arbusto prateado vindo das dunas da Tasmânia, o Calocephalus brownii e uma planta oriunda dos pântanos brasileiros de Santa Catarina, uma Syngonanthus chrysanthus 'Mikado', mais conhecida por planta Mikado. 

Confesso que tive dificuldade em acreditar que esta última era de verdade, pois parecia-me mais algo saído da mente de um designer avant-garde...

Normalmente é-me fácil explicar qual a melhor forma de cuidar (ou não cuidar) de uma determinada planta, pois tal informação deriva não só do que vejo nos livros mas principalmente da minha experiência de cultivo pessoal de determinada espécie. 

Quanto a estas duas...nada a fazer. Aqui o fator experiência não existe pelo que tive de palmilhar a Internet à procura de informação (só as fotos são da minha autoria). Eis o que consegui reunir:

Calocephalus brownii

Pantas de interior:Calocephalus brownii

Esta planta desenvolve-se como um arbusto.Tem folha perene mas costuma não durar mais de 2 a 3 anos. Resiste ao frio mas gosta de temperaturas acima dos 15ºC. Prefere exposição direta ao sol. Gosta de solos leves, com muito areia e muito boa drenagem (caso contrário rapidamente definha e morre). Prefere uma rega moderada e resiste muito bem a períodos de seca. Resiste bem ao sal e ao vento forte (ou não fosse esta uma espécie de dunas costeiras). A espécie foi descrita pela primeira vez pelo botânico Robert Brown em 1817. Floresce de Setembro a Fevereiro. Propaga-se por estaca.

Syngonanthus chrysanthus "Mikado"

Plantas de interior: Syngonanthus chrysanthus Mikado
É uma planta de pântano. Temperatura entre os 19ºC e os 22ºC. Gosta de luz forte, mas indireta. Suporta algum sol. Gosta de solos leves (com turfa), ligeiramente ácidos e com boa drenagem. O solo tem no entanto tem de estar permanentemente (h)úmido. O requisito mais importante para a sua sobrevivência é a (h)umidade do ar, a qual tem de ser muito elevada, na ordem dos 70%. Por esse motivo pode estar sujeita a ataques de fungos. Foi descrita pela primeira vez por Wilhelm Otto Eugen Ruhland em 1903. Reproduz-se por sementes apenas. Caso alguns dos meus milhares (milhões?) de leitores tenha alguma vez tido uma destas belas plantas, gostaria imenso que partilhassem comigo a vossa experiência de cultivo. Pode ser?